Blog da Clave

Conteúdo | marketing | RP 2.0

Como denunciar conteúdo plagiado ao Google?

Dentre tantas situações desagradáveis que poderemos passar, uma delas é se deparar com um conteúdo desenvolvido por você em um site de terceiros, sem autorização, e para piorar, na íntegra e sem os devidos créditos.

Tal atitude é chamada plágio, pode, e deve, ser denunciada ao Google, além de acionar o site em questão.

Segundo o dicionário Michaelis da Língua Portuguesa, plágio é:

  1. O ato ou efeito de plagiar;
  2. A imitação de um trabalho, geralmente de cunho intelectual, feito por outra pessoa.

É possível que o número de textos copiados se deva a grande procura por textos únicos entregues rapidamente.

 

como denunciar conteúdo plagiado
Crédito:  Yonocompropan

 

Como denunciar conteúdo plagiado ao Google?

 

Importante frisar aqui que se trata APENAS de denunciar e solicitar a remoção de conteúdo que esteja presente em produtos Google. Isso inclui:

  • A própria pesquisa do Google;
  • O Play (aplicativo de música);
  • Blogspot/ Blogger;
  • Algum anúncio do Google;
  • Google Drive e/ ou Docs;
  • Dentre outros.

 

Neste link para o suporte do Google, que explica como denunciar conteúdo plagiado, você deve clicar no produto da marca onde deseja que o conteúdo seja retirado.

Você será redirecionado a outra página onde você selecionará o item que mais se aproxima com a sua solicitação. Continue respondendo todas as perguntas até que lhe seja solicitado preencher um formulário detalhando o que foi plagiado.

Caso seja possível, disponibilize uma amostra do texto ou imagem que possa comprovar o plágio.

É necessário acessar utilizando a sua conta Google para preencher todas as informações, além de fazer a Declaração Juramentada assegurando sua boa-fé.

Finalmente, o Google irá examinar as alegações e, caso sejam verídicas, optar por excluir a publicação de seus aplicativos.

 

Viu como é simples como denunciar um conteúdo plagiado ao Google?

 

Mas, sempre vale entrar em contato com o responsável pelo site e solicitar que confira os devidos créditos ou que retire o conteúdo do ar amigavelmente. No entanto, saiba há outros meios de garantir o respeito a seus direitos sobre o conteúdo.

Como não ultrapassar os direitos autorais de terceiros?

 

Por mais que escrevamos as palavras, ainda que façamos pesquisas, muitas vezes colocamos no papel algo que outra pessoa também já pensou.
Se você tomou algum arquivo como base, coloque a fonte. Desta maneira, o que você está escrevendo terá maior credibilidade e se estenderá ao outro autor!

Se, por acaso, suas ideias não têm alguma fonte, para desencargo de consciência, submeta seu conteúdo a verificadores de plágio. Há vários gratuitos na internet que analisam o texto e ainda apontam a página a qual foi copiada, se for o caso. Se isto aconteceu com algo que você escreveu, analise a página apontada, altere ou coloque os créditos.

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.

Como definir a pauta de conteúdo para blog

A plataforma dita se o conteúdo para blog será mais flexível ou não. Sendo institucional, tal flexibilidade ainda vale, porém, é preciso sempre ter em mente que se trata de uma ferramenta da própria empresa para se comunicar com seus públicos de interesse, bem como atender aos seus anseios.

Neste sentido, pare um momento e pense em qual público está mais propício a visitar o seu conteúdo para blog. É o mesmo que visita o site de sua empresa? É o mesmo que consome seus produtos ou serviços?

Para saber ao certo, verifique os dados de acesso do Blog e de seu site.

 

O Público segundo o Google Analytics

 

Ao acessar o Google Analytics de sua empresa, na barra lateral esquerda, procure por Público. Em Visão Geral, você encontrará itens que trata do local onde o acesso está vindo:

  • País
  • Idioma falado
  • Cidade
  • O navegador utilizado
  • Se é celular, qual o sistema operacional, a resolução da tela

 

Muitas informações que podem moldar uma campanha feita, mas, para o blog, se atente ao país e o dispositivo de onde acessa.

Ainda no item Público, clique em Públicos e você encontrará gráficos com a idade das pessoas que visitam seu site, o sexo e a categoria de interesse. Neste último, trata-se do que estas pessoas buscam na internet, por exemplo, esportes, eletrônicos, viagens.

 

O que acessam em seu conteúdo para blog segundo o Google Analytics

 

Dentro do seu Google Analytics é hora de analisar o que é mais acessado em seu site.

No menu lateral esquerdo, clique em Comportamento, abra o item Conteúdo do site e, em seguida, abra Páginas de Destino.

 

 

conteúdo para blog

 

Neste item você verá quais são as páginas mais acessadas e, a partir daí, poderá determinar com mais clareza os assuntos que sua audiência mais tem interesse. Nesta página, analise:

 

  • Página de destino que apresenta maior número de sessões
  • Taxa de rejeição
  • Duração média da sessão

 

Claro, aferir completamente todas as variáveis é o ideal, mas apenas estas já lhe dirão muita coisa.

Faça uma lista por assunto mais acessado (partindo dos que mais tem acesso, em ordem decrescente). Cinco assuntos já é o suficiente e poderá gerar mais pautas.

 

Pronto!

 

O público já foi identificado, os assuntos mais acessados também já foram encontrados.

A pesquisa confere com o que você tinha em mente? Não precisa responder aqui =)

 

Na sua lista de itens mais acessados, o que poderia ser destrinchado, ou melhor dizendo, o que poderia render mais artigos?

 

Como as pessoas buscam pelo assunto na internet?

 

Quando estamos imersos em um projeto ou uma empresa, sabemos como buscar pelo serviço ou produto que oferecemos na internet.

O que não levamos em consideração é a maneira como o cliente ou possível cliente realiza esta pesquisa. Então, volte uns passos para trás e tente pensar como seu cliente, se coloque em seu lugar. Como você, leigo do assunto, faria uma pesquisa? Que termos utilizaria?

Parece simples, mas não é. Como foi dito, é comum estar imerso ao seu projeto, por isso, torna-se muito difícil pensar como cliente.

Você precisará se esforçar para encontrar a palavra-chave que quer trabalhar no texto para blog. Já está definido possíveis temáticas para seu texto, agora, é necessário fazer uma lista com termos ou frases com que as pessoas buscariam por este assunto.

Somente liste.

 

O segundo passo é abrir o seu Google Adwords. Você irá pesquisar frase por frase e verificará quantas buscas por este tema existem, ou seja, é útil.

 

 

 

No menu superior do Adwords, clique em Ferramentas, em seguida, na coluna Planejamento, clique em Planejador de palavras-chave.

Coloque a frase no campo especificado e inicie a pesquisa. Se a frase for constantemente utilizada, ela irá aparecer na íntegra e ao lado a média de buscas mensais por ela. O conteúdo para blog deve se pautar nestes dados para que os textos sejam mais precisos e correspondam às expectativas dos leitores.

A palavra-chave deve ter relação com o tema do seu texto, claro. E agora é só escrever.

 

Se você não sabe como escrever, leia também Como qualquer pessoa pode escrever um artigo para blog que converta aqui.

 

Dicas para um bom texto

 

Percorrido todo este caminho, é a hora de escrever. Enquanto uma agência de Relações Públicas especializada em conteúdo, seguimos algumas dicas do livro Redação em Relações Públicas, de Marina Martinez Nunes.

 

  • Seja objetivo ao escrever.
  • Escreva de maneira clara. Isso ajuda a organizar as ideias de quem escreve e de quem lê.
  • Redija frases curtas, mas não sacrifique as ideias e o conteúdo para blog.
  • A precisão no que é escrito, aliada aos itens já dispostos aqui, evitam interpretações erradas.
  • O seu texto pode e deve ser harmonioso, seja coerente.
  • É possível ser educado e polido ainda que a mensagem a ser transmitida não seja agradável. É uma questão de prática.
  • Sempre revise seu texto. Pode ser uma nota, artigo, conteúdo para blog, release. Verifique se está claro, se a gramática está correta, etc. Se necessário, solicite que um terceiro revise.

 

E aí? Clareou as ideias? Conta aqui nos comentários o que achou!

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.

8 dicas para criar nomes de empresas

Toda a pessoa que decide criar um negócio, independente do ramo de atuação, terá que passar pelo processo de criar nomes de empresas. E quão difícil é escolher algo que diga o que é o negócio e, ao mesmo tempo, atraia a atenção. Mas fique tranquilo, aqui você encontrará 8 dicas para criar nome atraente para sua empresa. Continue lendo!

 

nomes de empresas

 

O nome da sua marca/ empresa pode ser o motivo de ser lembrada pelos clientes por muitos anos, e este é um dos fatores para que despenda o tempo que for preciso para criar nome atraente para sua empresa.

Abaixo, você encontrará algumas dicas para facilitar a criação de um nome, o importante é refletir sobre todos os pontos com calma já que o nome durará por muitos anos.

 

1- Simples e claro

 

Analise o público-alvo de sua companhia antes de criar nomes de empresas. Quanto mais simples, mais fácil de ser lembrado, de ser dito.

Entretanto, evite nomes com grafia errada, com letras pouco utilizadas em nosso vocabulário. Tais nomes causam confusão e são difíceis de soletrar, o que pode ser negativo para sua marca.

 

2 – Que seja curto

 

Quanto menor, mais fácil de ser assimilado pelo seu público-alvo. Sei que parece difícil, principalmente, quando o seu negócio não é tão simples de ser explicado, mas um nome curto pode dizer muito mais do que um nome enorme.

Tendo que lidar com variadas informações ao mesmo tempo, é complexo ao ser humano assimilar o nome longo de uma empresa, ainda que a capacidade de armazenamento do cérebro seja enorme.

 

3 – Seja original

 

Com tamanha concorrência, ao adentrar no mercado é preciso ter destaque. Escolha um nome que evidencie sua atividade e que, ao mesmo tempo, não seja comum dentre os concorrentes da mesma área.

Pense sempre no público-alvo da sua empresa.

 

4 – Evite nomes que tenham sua localidade na composição

 

Empresas cujo nome contenha o local de atuação podem ficar amarradas caso um dia decidam expandir, além de não fazer nenhum sentido. Veja: Armazém Cotia. Se você abrir uma filial em Osasco, por exemplo, tal nome já não servirá, além de ficar estranho.

 

5 – As tendências

 

Se o seu intuito é capturar um público atento às tendências, escolher um nome nesta linha pode ser uma opção ótima. O problema é que quando esta tendência passar, a sua marca ficará datada, o que não é algo bom. O ideal é ter um nome atemporal, ou seja, atual, independente do tempo de mercado que sua empresa tenha.

 

6 – O nome deve ser bom de ouvir

 

É importante criar nome atraente para sua empresa cuja sonoridade seja boa. Diga o nome em voz alta, escute como soa e se não soar bem ao seu ouvido, escolha outro nome.

 

7 – Um nome eterno

 

Ao criar nome atraente para sua empresa, este precisa ser imenso, duradouro. Não é difícil encontrar marcas com anos de atuação e que serão lembrados por muitos e muitos anos: Coca-Cola, Walt Disney, Apple, dentre tantos outros.

8 – Como criar nomes de empresas de maneira automatizada

 

Após ler as dicas acima percebeu que não consegue mesmo criar nome atraente para sua empresa do zero?

Ok.

Hoje, já existem alguns sites que auxiliam na criação de nomes de empresas, sendo necessários apenas seguir os passos. Abaixo segue algumas destas plataformas:

 

Parece ser bem simples, sendo necessário inserir uma palavra que você deseja que tenha no nome. O ponto negativo neste caso é a quantidade de sugestões sem nexo com o ramo de atuação que aparecem.

Utilizei a palavra “clave” e apareceu “Clave Exército”, “Clave Partes”, “Ponto Clave”, “Micron Clave”, “Panteão Clave” e muitos outros que nada tinham a ver com o ramo de atuação desta agência.

 

Esta ferramenta refina um pouco mais. Você coloca o setor/ área de atuação da empresa, uma palavra relacionada a marca (este campo é opcional) e um e-mail. Pronto!

Ele oferece apenas uma opção de nome, além de verificar se há registro no INPI disponível, bem como domínios de internet. Se oferece para registrar também.

Não achei tão eficiente quanto parecia porque apresentou apenas uma sugestão.

Nada como criar nomes de empresas você mesmo

 

E aí? Suas ideias sobre como criar nome atraente para sua empresa começaram a ficar mais claras com as dicas dadas acima? Espero que sim! No entanto, se ficar com dúvidas, deixe um comentário ou entre em contato conosco. Estamos à disposição para ajudá-lo.

Repassando, o nome da sua empresa precisa causar uma sensação. A pessoa que ouve deve gostar de como soa, deve achar atraente, deve querer repetir o nome porque isso faz com que sua marca seja assimilada e, consequentemente, lembrada.

O nome é o início da construção da sua marca. O trabalho e qualidade do produto/ serviço é o que garantem o crescimento da mesma e sua reputação, claro!

Conheça o blog da Agência Clave. Aqui tem artigos interessantes para quem quer criar seu próprio conteúdo, além de ficar por dentro das tendências de comunicação.

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.

O conteúdo é importante para o Marketing Digital

Há muita divergência quando o assunto é saber se o conteúdo é importante para o marketing digital. Algumas pessoas acham que não é tão relevante, outras, por sua vez, que é essencial.

Os anos de atuação como Relações Públicas, especializada na produção de conteúdo, integrante de uma agência que faz conteúdo SEO, me fazem ter a opinião de que sim, o texto produzido é essencial. Mas não falo de conteúdo completamente raso.

Hoje, com as novas métricas do Google, a produção de textos ficou mais séria, precisa conter informações relevantes para que o ranqueamento seja real, duradouro. E então a temática “conteúdo é importante para o marketing digital” passou a ser muito mais relevante do que já era.

As pessoas gostam de ler coisas interessantes, porque não prover isto a elas?

 

O que a sua empresa tem a comunicar?

conteúdo é importante para o marketing digital

 

Independente do ramo de atuação da sua empresa, você sempre terá alguma coisa a comunicar para o seu público:

  • Consumidores/ Clientes;
  • Funcionários;
  •  Parceiros;
  • Fornecedores;
  • Comunidade em que está inserido;
  • Dentre outros.

A única questão é saber como comunicar. Você pode dar dicas sobre como utilizar os produtos que você mais vende, se este for caso. Ou apresentar as vantagens de terceirizar um serviço com sua empresa, por exemplo. São informações interessantes, relevantes que podem tornar a imagem da sua empresa positiva entre seus públicos e, ao mesmo tempo, converter em vendas de produtos e serviços.

Um case interessante

 

Um dos cases mais interessantes que tive a oportunidade de trabalhar na Agência Clave foi com uma loja de ferramentas online.

Imagino que você talvez esteja se perguntando o que uma loja de ferramentas poderia comunicar ou produzir de conteúdo relevante?

Confeccionamos o blog para esta loja de ferramenta com o mesmo nome de seu e-commerce, e a produção de conteúdo foi iniciada justamente quando a crise hídrica atingiu seu ápice em São Paulo. Como utilizar a temática de um problema tão sério?

Com a devida autorização do inventor, escrevemos um post ensinando as pessoas a produzir um sistema de captação de água da chuva incluindo o tambor para armazenamento. E este foi um dos artigos mais visitados por muitos meses!

Fizemos parcerias com blogueiros e youtubers que trabalhavam com madeira, utilizavam ferramentas, e isso nos permitiu reviews interessantíssimos sobre os produtos que eram comercializados no e-commerce, dentre outros.

No fim, o dono fechou a loja por querer atuar com Marketing Digital para e-commerce, mas o blog deu tão certo que hoje, 2 anos ou mais do encerramento das atividades da loja, continua sendo acessado por hobbistas.

Neste blog há uma coluna com o DIY (Do it yourself ou Faça você mesmo), ferramentas, curiosidades, dentre outras.

Conteúdo é importante para o Marketing Digital e converte

 

Para saber o quanto um bom conteúdo influencia nas vendas ou contratações por seu serviço basta analisar as estatísticas do seu site. Confira outras informações relevantes sobre o assunto:

  • Segundo uma pesquisa da ABG Essentials, o conteúdo no marketing converte 6 vezes mais que outros métodos de marketing digital.
  • Depois de ler recomendações ou dicas em um blog, 61% dos consumidores online nos EUA decidem fazer a compra (o dado é do Content Marketing Institute).

Independente da estratégia que você e sua empresa tenham adotado, o conteúdo é importante para o marketing digital e fará toda a diferença no modo como seu público te vê.

 

Confira dicas para produzir textos com qualidade neste blog!

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.

Blog institucional para público interno

Muitas empresas preocupam-se em criar blog institucional para atrair mais visitantes a seus sites, vender mais produtos, o que não é errado. Um blog institucional pode e deve ser utilizado para comunicar a seus públicos conteúdos de interesse, como novos produtos, nova frente de negócios, crescimento, prêmios e quaisquer outras informações que considere pertinente.

 

blog institucional

 

 

No entanto, o blog institucional pode servir também como um painel para os seus colabores e público interno. Estes também são um público de interesse da empresa e precisam saber o que está acontecendo.

São considerados público interno:

  • Colaboradores
  • Parceiros
  • Sócios
  • Acionistas
  • Terceirizados
  • Investidores

 

O blog institucional em favor da empresa

 

Como qualquer ação realizada na empresa, gerir um blog institucional para público interno requer planejamento e, claro, uma estratégia, para que nem empresa, nem colaboradores sejam prejudicados.

 

  • Uma das maneiras de bem utilizar o blog institucional é oferecer informações completas, de uma só vez. Isso evita desencontros de comunicação, o famoso ruído.
  • Comunicação no momento que acontece – com tudo fresco na mente, não se pode perder o timing da informação. Infelizmente, em muitos blogs a notícia relevante só é publicada semanas após.

 

Quando a comunicação é bem-feita, o colaborador sente-se parte da empresa, sente-se relevante, como de fato é.

Um blog institucional é a ferramenta ideal para renovar o conhecimento da equipe com materiais de apoio, por exemplo, que auxiliarão o dia a dia, para realizar pesquisas internas e com certeza pode ajudar a conquistar as metas da empresa, impulsionando a equipe.

 

Todos precisam ser ouvidos

 

Quando buscamos a palavra ‘comunicação’ no dicionário, encontramos que é o ato de transmitir uma mensagem e receber uma resposta.

 

O blog institucional para público interno precisa ser um espaço seguro para que todos sejam ouvidos. E isso só trará ganhos para a empresa. Ouvindo, evita-se crises que não poderiam ser contornadas com facilidade e, mais uma vez, deixa-se de lado os ruídos na comunicação.

 

 

 

O blog institucional para público interno pode ser aberto a todos?

 

Sim.

A única questão a ser levada em conta é se o conteúdo ali disponibilizado pode ser exposto a todos, integralmente. É o caso, talvez, de informações contendo dados financeiros, dados pessoais, dentre outros.

Para evitar o acesso a essas informações, é possível criar uma área interna no próprio blog onde apenas quem tenha uma senha ou código possa acessar.

Tenha o controle de quem lê as informações, para evitar vazamentos e crises.

 

Confira mais dicas e saiba como qualquer pessoa pode escrever artigos para blog aqui.

 

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.

Não fique de fora: Cores para design 2018 segundo Pantone

A escolha certa de cores para design como para seu logo ditará seu fracasso ou sucesso com seu público alvo

Não é novidade que as cores exercem diversas sensações quando em contato conosco. As cores podem acalmar, possibilitar que prestemos mais atenção a alguma coisa, dentre outras sensações. Além da área psíquica, a escolha certa da cor para um logo pode determinar o sucesso ou não de uma marca quando o assunto é comunicação.

 

 

As cores para design erradas de uma campanha podem fazer com que algo com grande potencial não tenha a resposta esperada ou até fracassar. Para não se equivocar, o ideal é estar atento à tendência.

Todos os anos, o Pantone Color Institute (Instituto de Cor Pantone) emite um release com as tendências de cores para o ano em questão, normalmente, antes dos grandes eventos da moda, como o New York Fashion Week.

Segundo Leatrice Eiseman, Diretor Executivo do Instituto de Cor Pantone “Para o Outono/ Inverno de 2018 a paleta de cores continua a mostrar a necessidade por individualidade, engenhosidade e criatividade”.

Percebe-se que, cada vez mais, os consumidores se afastam das modas cíclicas e buscam por cores auto expressivas e não-tradicionais. É o caso da Pantone 12-0740 Limelight e também da Pantone 15-3510 Crocus Pétala.

Pantone 19-1536 – Red Pear (Pêra Vermelha) – Um vermelho profundo, intenso.

 

Uma linda peça em couro em Red Pear. Veja.

 

 

Pantone 18-1549 – Valiant Poppy (Papoila Valente) – trata-se de uma cor fascinante, extrovertida.

 

O site Millan Style Guide conseguiu demonstrar lindamente esta cor.

 

Pantone 18-4048 – Nebulas Blue (Azul Nebuloso) – recebe este nome por ser um ‘azul pensativo’.

 

Pantone 15-0850 – Ceylon Yellow (Amarelo Ceilão) – traz o que há de picante e exótico a esta época do ano.

 

Uma cortina nesta cor é, com certeza, o ponto de atenção do espaço.

 

 

Pantone 18-0625 – Martini Olive – é uma cor sofisticada e também muito urbana, acrescenta profundidade a paleta de cores do outono/ inverno.

 

 

Pantone 16-1255 – Russet Orange (Laranja Russet) – é aquele laranja visto nas florestas do hemisfério norte. É calor, beleza.

 

 

 

Pantone 15-3520 – Crocus Petal (Pétala de Açafrão) – é uma das cores mais leves presentes aqui. Como uma brisa.

 

 

Pantone 12-0740 – Limelight (Ribalta) – Não é picante como o Ceylon Yellow, mas é animado, chamativo.

 

 

Pantone 18-5025 – Quetzal Green (Verde Quetzal) – é daquelas cores que logo prendem a nossa atenção por ser profundo, um verde azulado, elegante.

 

 

E a cor do ano 2018: Pantone 18-3838 Ultra Violet ou ultra violeta. Trata-se de uma cor roxa, indígena, inspiradora, que remete ao cosmos. A escolha da cor do ano não é aleatória, resulta de muita reflexão e do reconhecimento do que falta no mundo atual.

 

Todas essas cores para design em geral foram escolhidas pelo Pantone Fashion, Home + Interiors Color System e são referências para a indústria da moda, mas também para profissionais de comunicação, decoradores, dentre outros.

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.

Benefícios do treinamento para sua empresa

Qual Benefícios do treinamento para sua empresa?

Ainda que estejamos há poucos dias do início da Copa do Mundo no Brasil, a imagem dos serviços prestados pela sua empresa persistirão por muito tempo, independente da quantidade de turistas que o país receba para as festividades. Deixar um traço de excelência para os turistas brasileiros também é primordial para tornar a sua marca ainda mais conhecida de maneira positiva.

Benefícios do treinamento para sua empresa

Uma imagem negativa pode acabar com as chances que a sua empresa possui de crescer no mercado e de iniciar uma nova tradição/ referência entre as companhias nacionais. Quando falamos em imagem positiva, não estamos tratando apenas de sua comunicação através de diversas mídias, mas também da comunicação que os seus colaboradores transmitem ao atender os seus clientes.

Pare um momento e analise todos os âmbitos de sua empresa. Você está satisfeito com o que está oferecendo? Se você fosse o consumidor, ficaria satisfeito com o atendimento prestado? Existem aspectos que lhe incomodam em algum lugar da sua empresa?

Caso tenha ficado em dúvida, talvez seja a hora cogitar a contratação de uma empresa especializada para prestar treinamentos específicos à sua equipe.

Mas quais os benefícios de treinamentos de equipe?

  • Atualização com as últimas novidades do mercado hoteleiro;
  • Identificação de pontos a serem melhorados por parte dos próprios colaboradores;
  • Valorização e motivação dos colaboradores;
  • Baixo custo com a melhoria de sua imagem;
  • Baixa rotatividade dos colaboradores.

Rosana Giancaterino, dona da RG Consultoria Hoteleira, completa afirmando que “ao prestar treinamento, os colaboradores se sentem valorizados e eles mesmos passam a acreditar no produto que vendem (a empresa). Com isso, trabalham muito mais felizes, atendem melhor e o mais importante: vestem a camisa. Além do treinamento aos colaboradores que fazem o atendimento final, é imprescindível treinar também as lideranças, pois cabe a elas acompanhar e motivar os demais”.

Caso fique em dúvida sobre ouvir os que os seus colaboradores têm a dizer sobre o seu negócio, sempre tenha em mente que é melhor prestar atenção ao que ocorre dentro da sua empresa antes que se torne público. O preço para remediar uma imagem arranhada é muito alto e não é apenas financeiro.

Colaboradores bem treinados, bom atendimento aos clientes mantêm a porta do seu negócio aberto a futuras parcerias, cria a tradição de empresa com boa reputação e atrai mais clientes de maneira consistente.

 

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.

http://www.amapadigital.net/sysmbs/img_noticia/marco_civil_da_internat.jpg

O que é o Marco Civil da Internet (PL 2126/ 2011)?

 

Desde que conhecemos e começamos a utilizar a internet muita coisa foi melhorada no mundo cibernético, e ainda que tentemos conhecer cada pedacinho dela, jamais conseguiremos. Há, cada dia, mais e mais conteúdos são inseridos na rede, para todos os gostos. Ainda que seja um espaço democrático, se fez necessário garantir o direito básico de acesso a internet, a seus conteúdos, sem que para isso tenhamos que pagar mais.

O projeto de lei 2126/ 2011 foi criado de maneira colaborativa, juntando as ideias do governo e as necessidades citadas pelo povo, tudo via internet! Assim o projeto de lei levou em consideração os interesses da população para sua feitura.

O projeto é muito interessante e seu maior triunfo, é garantir acesso a internet a todos os cidadãos sem restrições e democraticamente. Deste modo quem tem internet de velocidades astronômicas ou quem ainda usa internet discada, tem acesso ao mesmo conteúdo se quiser e, pode deliberadamente, acessar de acordo com seus interesses, diferente do que acontece com outras mídias (TV, jornais, etc.), onde nos é imposto um determinado produto ou serviço e as informações transmitidas visam, entre outras coisas, manipular a sociedade.

O controle da internet no Brasil por parte das operadoras contrariam o Marco Civil (PL 2126/2011), pois visam tomar um poder que até então abriram mão, de “ditar”ao público o que consumir.

O que o projeto estabelece?

Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. Dentre os pontos mais interessantes estão:

I – garantia da liberdade de expressão, comunicação e manifestação de pensamento;

II – proteção da privacidade;

III – proteção aos dados pessoais, na forma da lei;

IV – preservação e garantia da neutralidade da rede, conforme regulamentação;

V – preservação da estabilidade, segurança e funcionalidade da rede, por meio de medidas técnicas compatíveis com os padrões internacionais e pelo estímulo ao uso de boas práticas.

Um dos capítulos do projeto de lei diz que fica proibido as operadoras de internet a criação de pacotes que façam distinção a conteúdos, origem, destino, serviço… prática que ocorre dependendo do meio em que se acessa a internet.

Andamento do projeto

O projeto foi apresentado pelo Poder Executivo (Presidência) em 2011, ganhou tanta visibilidade que foi criada uma comissão especial para avaliá-lo, além de várias audiências com debatedores/ especialistas para discutir melhor o assunto antes da votação do mesmo.

Em 12/09/2013, o Poder Executivo solicitou que o projeto passasse a tramitar em regime de urgência, ou seja, prazo de 45 dias para apreciação e votação por parte da Câmara. O prazo expirou. Muitas vezes o projeto foi retirado da pauta do plenário e outra vezes por não ter por cancelamentos, mas com o prazo expirado, o projeto precisa ser votado.

População X Lobby

Assim como a população têm se organizado para lutar em prol do que acha certo, e derrubar o que acha errado, as indústrias são organizadas e possuem pessoas preparadas que ficam no Congresso assistindo as reuniões de comissões, visitando os parlamentares em seus gabinetes, etc.

A pressão imposta pelas empresas e as suas promessas são tão fortes que iludem muitos parlamentares que acabam por ceder a seus interesses, esquecendo os interesses de quem realmente servem: o povo.

Em recente petição expedida pelo ex-ministro da cultura, Gilberto Gil, mais de 250 mil pessoas assinaram a mesma em favor do PL 2126/2011. A petição assinada será entregue aos congressistas, e as centenas, quem sabe, milhares de tweets enviados aos deputados participantes.

Onde o projeto está?

O projeto aguarda votação no plenário da Câmara dos Deputados. Hoje, 11/03/2014, por estratégia, o plenário foi esvaziado para que, caso houvesse uma votação, o projeto não fosse arquivado.

É preciso dizer, que o projeto já foi lido, o parecer do relator (Dep. Alessandro Molon – PT/RJ) pela aprovação, também já foi proferido. Agora é aguardar a votação do PL e dos seus 36 apensados e de suas emendas!

Projeto de lei na íntegra | Acompanhamento (tramitação) | Mais: http://www.camara.gov.br

marco civil da internet PL 2126/2011

 

Nota Agência Clave:

 

A Agência Clave apóia o Marco Civil da Internet por reconhecer que a liberdade de informação é relevante para seus negócios e infinitamente importante para a sociedade brasileira. O poder de comunicação para os indivíduos bem como seu livre uso é o principal responsável por articular grupos organizados da sociedade que lutam por interesses de bem comum. Igualmente importante para alimentar a opinião pública de informações de interesse público de forma livre, acessível, em quantidade e qualidade suficiente para a formação saudável da opinião pública acerca de temas controvertidos e que exigem ampla discussão da sociedade.

Apoiamos assim o PL 2126/2011, bem como as constantes discussões de seu texto com o envolvimento da sociedade.

Formada em Relações Públicas pela Fapcom, atuou por 8 anos no terceiro setor com comunicação na temática Segurança Pública. Hoje é responsável pela redação do Profissão Hoteleiro e Relações Públicas na Agência Clave.